ARTISAN  Curso de  Marcenaria

 

         

Formão

 

FORMÕES NOVOS

Formões são ferramentas de corte para entalhar madeira.

Pode ter acontecido com você, leitor, e com certeza deve ter ocorrido com alguém de seu círculo de relacionamento, ou poderá acontecer quando for utilizar formões novos pela primeira vez.

Leigos e novatos na arte da marcenaria que adquirem formões, estimulados por matérias veiculadas na mídia ou por algum impulso interior que surge de repente ao ver um móvel ou um simples pedaço de madeira em bruto, ficam decepcionados ao utilizar essas ferramentas.

Ao tentar efetuar os primeiros cortes, os resultados são decepcionantes e, logo e precipitadamente, concluem:

- não tenho mesmo jeito para isso!
ou
- as ferramentas nacionais não prestam mesmo!

Por uma falha de comunicação, cuja responsabilidade cabe, creio eu, ao fabricante, o comprador não sabe que os formões novos nunca foram vendidos afiados. Essa é uma prática adotada por todos os fabricantes do mundo todo, seja em países em desenvolvimento ou plenamente desenvolvidos.

Já ouvi inúmeras vezes, as vozes desanimadas de novos alunos relatando as dificuldades encontradas ao trabalhar com formões novos.
Esse desconhecimento geral do assunto está na origem destas linhas.

Saiba que, ao adquirir formões novos, goivas e plainas manuais, essas ferramentas necessitam de uma afiação primorosa antes de sua utilização. Somente assim, você conseguirá resultados a nível profissional.

Tenha presente, também, que a primeira afiação não é eterna e que precisa reafiá-los periodicamente. É, também, necessário conservá-las com capricho para que estejam aptas para uso imediato toda vez que delas você precisar.

LEMBRE-SE:
- Uma ferramenta de corte que não corta, é inútil e perigosa!

AVALIAÇÃO DA AFIAÇÃO:

Avalie você mesmo a qualidade da afiação de seus formões. Faça o teste num pedaço de madeira de cedro, mogno, pinho, frejó, imbuia, cerejeira, caxeta, marfim ou outra madeira que não seja muito dura.

Fixe a madeira na bancada com um grampo.
a) Efetue um corte superficial, paralelamente às fibras, como se estivesse retirando uma lasca, e observe:
   
- A superfície do corte deve resultar bem lisa e agradável como se tivesse sido lixada com lixa fina.
    - Deve ter demandado esforço moderado (proporcional à largura do formão).

b) Efetue um corte perpendicular às fibras, a cerca de algum milímetro do topo da peça, e observe:
   
- A superfície do corte deve resultar bem lisa e uniforme, agradável ao tato. As fibras devem ter sido cortadas e não rasgadas (esgarçadas).
   
- Deve ter demandado esforço moderado e proporcional à largura do formão.